Seções

03/02/2014

Pronatec: 5,7 milhões de matrículas nos cursos técnicos e de qualificação profissional

"Qualificando melhor os trabalhadores para a nossa indústria, ela se moderniza mais e se desenvolve mais rápido, e, assim, aumenta-se a produtividade do trabalho no Brasil"

Ouça o programa

versão nacional
  • preview
  • preview
  • preview

Das matrículas no Pronatec, 1,7 milhão foram feitas nos cursos técnicos e 4 milhões nos cursos de qualificação profissional. Somente para atender à demanda da indústria, são mais de 300 mil vagas em variadas áreas. A presidenta Dilma Rousseff lembrou que, em março, serão abertas as inscrições para o Sisutec, que seleciona jovens e adultos que já concluíram o Ensino Médio para as vagas dos cursos técnicos do Pronatec.

Transcrição

Apresentador: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia a todos os ouvintes que nos acompanham hoje aqui no Café!

Apresentador: Presidenta, o Pronatec, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego, já virou assunto nas rodinhas de conversas de trabalhadores e jovens de todo o país. Como é que estão as matrículas nos cursos do Pronatec, presidenta?

Presidenta: Olha, Luciano, o Pronatec é um enorme sucesso. Veja você que, em pouco mais de dois anos, já são mais de 5,7 milhões de matrículas nos cursos que o Pronatec oferece, Luciano. Um milhão e setecentas mil dessas matrículas são para cursos técnicos de nível médio, que duram até dois anos. Quatro milhões são para os cursos de qualificação profissional oferecidos para nossos trabalhadores, mulheres, adultos, jovens que querem se capacitar profissionalmente. Esses números fantásticos mostram, Luciano, a vontade que os brasileiros e as brasileiras têm de estudar, e a disposição de cada um para agarrar as oportunidades, melhorar de vida, conseguir um bom emprego, ter um aumento de renda e, assim, Luciano, viver com mais conforto. Ao aprender uma profissão, se preparam para conquistar um melhor lugar no mercado de trabalho. O Pronatec, então, Luciano, vai ajudar muito mais gente a mudar de vida, porque até o final do ano, nós vamos chegar aos 8 milhões de matrículas que nós tínhamos nos comprometido quando lançamos esse programa.

Apresentador: É muita gente estudando pelo Pronatec, presidenta.

Presidenta: Uh, é mesmo, Luciano! E tem uma coisa que nos alegra muito: 60% das matrículas do Pronatec foram feitas por jovens com idade entre 17 e 29 anos, jovens que estão construindo, com o Pronatec, o seu futuro baseado no seu esforço e no apoio de suas famílias. Olhando os números, Luciano, a gente percebe que esses jovens estão começando a vida profissional e eles veem, no Pronatec, uma grande oportunidade de melhorar a formação e conseguir um bom emprego. Isso é ótimo para os nossos jovens, mas também é ótimo para o Brasil, que precisa, cada vez mais, de técnicos e de trabalhadores qualificados, para aumentar a produtividade nas nossas empresas e a competitividade da economia brasileira. Outra boa notícia, Luciano, é que os cursos do Pronatec estão se espalhando cada vez mais pelo país. Em 2013, nós tínhamos cursos do Pronatec em 3.200 municípios. Agora, Luciano, neste ano, nós chegaremos a 4.260 municípios. Assim, nós estamos dando oportunidade de fazer um curso técnico mesmo a quem mora em municípios menores ou em lugares mais distantes dos grandes centros.

Apresentador: Presidenta, agora aproveita para explicar para a gente a diferença entre os dois tipos de cursos que o Pronatec oferece.

Presidenta: Olha, Luciano, o Pronatec oferece cursos técnicos que podem durar até dois anos, e cursos de qualificação com duração menor, de até quatro meses.

Apresentador: Então, vamos começar explicando os cursos de maior duração.

Presidenta: Claro, Luciano. Os cursos técnicos são oferecidos para quem está fazendo ou já terminou o Ensino Médio. Mais de 1,7 milhão de jovens estão fazendo ou já fizeram estes cursos do Pronatec por todo o Brasil. Uma coisa muito importante é que nós retomamos a valorização e o fortalecimento do ensino técnico em nosso país com esse fantástico programa chamado Pronatec. Eu não sei se você lembra, Luciano, houve uma época em que o governo federal mandou uma lei impedindo a ele mesmo, governo federal, de investir no ensino técnico federal. Em 2005, lá no governo do presidente Lula, nós mudamos essa lei e, a partir daí, começamos, nós, governo federal, a investir em novas escolas técnicas. Até o final de 2014, estarão em funcionamento mais 208 escolas técnicas federais. Já no início de março, nós teremos, em funcionamento, mais 151 escolas técnicas. Além de espalhar, viu, Luciano, escolas técnicas federais pelo interior do Brasil, nós também fizemos uma forte parceria com o Sistema S, com o Senai, o Senac, o Senar e o Senat. Assim, estamos formando técnicos nas mais variadas áreas. São técnicos, por exemplo, em Mecânica, Edificações, Automação Industrial, Logística, Luciano, Eletromecânica, Eletrotécnica, Biocombustíveis, Petróleo e Gás, na área da Agricultura e da Pecuária, nas Telecomunicações, na Informática, na Tecnologia da Informação, na Enfermagem e muitas outras, viu, Luciano. Sabe por quê? Porque o Brasil precisa de jovens com boa formação técnica. Luciano, nos países desenvolvidos, Alemanha, por exemplo, para cada profissional de nível superior há em torno de dez técnicos de alta qualificação profissional. E isso faz diferença, aumenta a produtividade e a competitividade de uma economia.

Apresentador: São muitas opções de cursos, hein, presidenta?!

Presidenta: Ah, são sim, Luciano. Todos esses cursos do Pronatec ajudam a abrir as portas do mercado de trabalho para os nossos jovens. Veja, por exemplo, Luciano, a história do Cláudio de Oliveira, lá de Niterói, no Rio de Janeiro. O Cláudio tem 19 anos e queria muito estudar Eletrotécnica no Senai, mas não tinha como pagar o curso. Com o Pronatec, o Cláudio conseguiu a vaga de graça e também teve acesso a uma formação de qualidade. Para você ter uma ideia, antes de terminar o curso, que durou um ano e meio, o Cláudio, com 19 anos, já estava empregado como auxiliar técnico em uma empresa de automação e de sistemas, com um salário, Luciano, em torno de R$ 1.500,00. Veja você, Luciano, R$ 1.500,00 para o primeiro emprego de um jovem de 19 anos, e exatamente na área em que ele queria tanto quando começou a estudar no Senai. Agora, Luciano, é só ele continuar batalhando, aí ele vai crescer na empresa, fazendo cursos de aperfeiçoamento que podem até ser pelo Pronatec. Ah, viu, Luciano, eu tenho certeza que o Cláudio terá um grande futuro pela frente.

Apresentador: Com certeza, presidenta! Agora, a senhora tinha falado que o Pronatec também oferecia cursos de menor duração, que são os de qualificação profissional. Como é que está a procura por esses cursos?

Presidenta: Enorme, viu, Luciano, a procura por esses cursos de qualificação. Você sabe, mais de 4 milhões de trabalhadores e trabalhadoras do nosso país fizeram a matrícula nesses cursos, que podem durar até quatro meses. Essa procura fantástica, Luciano, é resultado de um ótimo projeto que deu certo. O Pronatec é uma vitória, porque combinou a grande qualidade das escolas técnicas e das escolas do Sistema S, do Senai, do Senac, do Senar e do Senat, e combinou isso tudo com a oferta de uma grande variedade de cursos que atendem as necessidades do mercado de trabalho e, também, o desejo das pessoas. Esse esforço tem sido especialmente importante para a indústria. Com o Pronatec, nós oferecemos, apenas quando a gente considera a indústria, mais de 300 mil vagas em cursos nos setores estratégicos, como Petróleo e Gás, Tecnologia da Informação, Construção Civil, Energias Renováveis, no setor Automotivo, no Eletroeletrônico, na Indústria Química, na Mineração, na Metalurgia, na Indústria de Papel e Celulose, na própria Agroindústria, entre outros. Qualificando melhor os trabalhadores para a nossa indústria, ela se moderniza mais e se desenvolve mais rápido, e, assim, aumenta-se a produtividade do trabalho no Brasil.

Apresentador: O Pronatec também é uma grande oportunidade para os brasileiros que não tiveram a chance de estudar e ter uma profissão, não é, presidenta?

Presidenta: É isso aí, Luciano. Um exemplo disso é o extraordinário sucesso da parceria do Pronatec com o Brasil sem Miséria. Veja você que do total das 4 milhões de matrículas nos cursos de qualificação do Pronatec, em torno de 900 mil foram feitas por beneficiários do Brasil sem Miséria. Dois terços dessas pessoas, sabe, Luciano, são mulheres, mulheres batalhadoras que estão em busca de um futuro melhor para si e para suas famílias. Muitas vezes elas são chefes de família, Luciano. Graças ao Pronatec, as beneficiárias do Brasil sem Miséria têm a oportunidade de frequentar um curso de excelente qualidade. E, com o seu esforço e dedicação, elas saem dos cursos com um diploma na mão. Diploma de auxiliar administrativo, de operador de computador, eletricista, torneira mecânica, soldadora, ceramista, auxiliar de laboratório, cuidadora, costureira, manicure e recepcionista.

Apresentador: E o pessoal está correndo atrás, não é, presidenta?

Presidenta: Ah, Luciano, está sim, viu? Veja só a história da Antônia Abel, lá na cidade de Campo Maior, no Piauí. A Antônia tem 29 anos, é casada e tem uma filha, a Renata, de sete anos. A Antônia recebia R$ 134,00 do Bolsa Família e não trabalhava. Então, Luciano, ela decidiu ir atrás dos cursos que o Pronatec oferece de graça. Primeiro, a Antônia fez o curso de manicure e cabeleireira, e aí ela começou a ganhar um dinheirinho cuidando das unhas e dos cabelos das vizinhas. Depois, a Antônia fez o curso de operador de computador, também do Pronatec. E veja só, Luciano, ela conseguiu um emprego no serviço social da prefeitura de Campo Maior porque tinha maior qualificação. Nesse emprego, a Antônia ganha um salário mínimo. Juntando com as unhas que ela faz no tempo livre, a renda da Antônia é de cerca de R$ 850,00 por mês. Aí, sabe o que aconteceu, Luciano?

Apresentador: O que, presidenta?

Presidenta: A Antônia decidiu abrir mão do benefício do Bolsa Família. Ela fez isso porque acredita que o seu benefício pode ajudar outras pessoas a conseguirem oportunidades semelhantes a que ela teve para dar um salto na vida. Essa, Luciano, é uma história que eu acho muito linda. Você não acha, Luciano?

Apresentador: Com certeza, uma bela história de vida, presidenta. Muito boa a conversa de hoje, cheia de gente que está querendo melhorar de vida. Mas, infelizmente, o nosso tempo chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.

Presidenta: Antes de terminar o Café, Luciano, eu quero lembrar aos nossos ouvintes que, no mês que vem, nós vamos novamente abrir as inscrições para o Sisutec. Você sabe o que é o Sisutec, Luciano?

Apresentador: O que, presidenta?

Presidenta: É o sistema que o Ministério da Educação criou para selecionar aqueles que já concluíram o Ensino Médio e querem agora concorrer às vagas dos cursos técnicos do Pronatec. Eu volto aqui nas próximas semanas, viu, Luciano, para falar sobre esse assunto, porque ele é muito importante. Agora, obrigada e uma boa semana para você, Luciano, e para todos os nossos ouvintes.

Apresentador: Obrigado, presidenta. E você que nos ouve pode acessar esse programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. O Café com a Presidenta volta na próxima segunda-feira. Até lá!